Djibuti liberta líderes de oposição presos em protestos

Autoridades do Djibuti, país localizado no Nordeste da África, "libertaram provisoriamente" três líderes de oposição que haviam sido detidos depois de protestos pela mudança de regime, de acordo com o promotor público Djama Souleiman. A televisão estatal anunciou a libertação de dois dos presos, mas não mencionou o terceiro.

AE, Agência Estado

20 de fevereiro de 2011 | 16h12

"Libertamos provisoriamente porque reconhecemos que, apesar de seus comportamentos irresponsáveis, são líderes de partidos políticos e um deles é membro do parlamento", explicou Djama Souleiman à AFP. "Continuaremos investigando em que medida eles manipularam saques e planejaram atos de violência e vandalismo."

Os três detidos são o presidente do Partido Democrático Nacional, Aden Robleh Awaleh; o presidente do Partido Democrático do Djibuti, Mohamed Daoud Chehem; e Ismail Guedi Hared, cujo Sindicato para Mudança Democrática organizou um grande protesto na sexta-feira.

Awaleh e Hared foram presos por ultrapassar barreiras policiais, numa tentativa de libertar Chemem, que já havia sido detido. Os protestos de sexta-feira foram sem precedentes no pequeno país africano, aliado do Ocidente na região. Os dissidentes exigem a deposição do presidente Ismael Omar Guelleh, que está no poder desde 1999 e mudou a constituição no ano passado para poder disputar novamente as eleições, em 8 de abril. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Djibutipresospolíticos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.