DNA inocenta homem que passou 7 anos no corredor da morte

Um homem condenado à morte quando ainda era adolescente foi libertado graças a evidências obtidas por meio de DNA. Por mais de sete anos, Ryan Matthews vinha dizendo não ter nada a ver com a morte, durante um assalto, de um lojista. ?Sempre soube que ia acontecer. Não estou surpreso?, afirmou, ao ouvir que as acusações contra ele haviam sido derrubadas. A justiça anulou o indiciamento de Matthews a pedido dos promotores, que agora têm um ano para ?revisitar? o caso. O advogado William Sothern duvida que Matthews volte a ser acusado. ?Ele está limpo. Sem dúvida nenhuma?, afirmou. Duas testemunhas identificaram Ryan Matthews como o atirador que matou Tommy Vanhoose durante um assalto, e outro réu confessou ter sido o motorista o carro usado por Matthews, na época com 17 anos, na fuga.No entanto descobriu-se que o DNA encontrado na máscara que foi jogada para fora do carro de fuga bate com o de Rondell Love, que está preso por outro assassinato.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.