Documentos mostram EUA ansiosos para ajudar golpe de 64

Documentos e uma fita de áudio divulgados por um grupo de pesquisa não-governamental baseado em Washington mostram que o presidente americano Lyndon B. Johnson orientou assessores para fazerem o que fosse necessário para o sucesso do golpe militar de 1964 no Brasil. Os documentos foram divulgados na quarta-feira pelo National Security Archive em seu site na internet para coincidir com o 40º aniversário do golpe, que levou a 21 anos de regime militar no Brasil.A fita de áudio traz um conversa em 31 de março de 1964 entre Johnson e o subsecretário de Estado George Ball. Ball ofereceu um breve relato da situação no Brasil e sugeriu o envio de uma força-tarefa naval para o Atlântico Sul e navios-tanque com combustível para o caso de os golpistas brasileiros viessem a necessitar do apoio americano. Johnson respondeu: "Coloque alguém com alguma imaginação e engenhosidade nisso. Não podemos simplesmente tomar o país. Eu assumiria a situação e me arriscaria um pouco".Alguns dos documentos foram liberados há cerca de cinco semanas, disse Peter Kornbluh, um pesquisador da entidade. "Eles mostram Johnson dando luz verde para oficiais de segurança dos EUA para garantir que o golpe fosse bem-sucedido".Entre os documentos estão telegramas diplomáticos do embaixador dos EUA no Brasil Lincoln Gordon pedindo, nos dias anteriores ao golpe, "uma entrega clandestina de armas". Ele também requisitou suprimentos de combustível dos EUA para as forças armadas brasileiras. Kornbluh acrescentou que "muito sobre os EUA e o golpe brasileiro de 1964 continua secreto".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.