AP Photo/M. Spencer Green
AP Photo/M. Spencer Green

Site vaza documentos que revelam estratégia de campanha de Jeb Bush contra Rubio

Apresentação de 112 páginas inclui pesquisas internas da equipe do pré-candidato, metas da campanha em Iowa um plano de impacto publicitário para janeiro de 2016

O Estado de S. Paulo

30 Outubro 2015 | 10h49

WASHINGTON - Uma apresentação de 112 páginas da campanha do pré-candidato republicano à presidência dos Estados Unidos, Jeb Bush, divulgada na quinta-feira pelo site US News revela uma estratégia do ex-governador da Flórida focada em atacar o senador do mesmo estado e ex-pupilo de Jeb, Marco Rubio, depois que os dois se confrontaram em um debate televisionado na quarta-feira.

O documento divulgado pelo US News consiste em 112 páginas que incluem pesquisas internas, metas da campanha no estado de Iowa e um plano de impacto publicitário para janeiro de 2016. No entanto, o trecho de maior destaque é a confirmação de uma estratégia destinada a minar o apoio ao pré-candidato Rubio.

Um dos trechos do documento, destinado à comunicação com doadores e possíveis doadores, tem como título "Marco é uma aposta arriscada", e nele são detalhados vários motivos pelos quais, segundo a campanha de Jeb, os doadores deveriam pensar duas vezes antes de dar seu apoio a Rubio.

O texto lembra que o político cubano-americano esteve envolvido em uma polêmica quando era legislador no estado da Flórida por usar o cartão de crédito do Partido Republicano para despesas pessoais.

O documento também indica que, em 2005, Rubio e o ex-congressista pela Flórida David Rivera compraram juntos uma casa pela qual posteriormente tiveram que fazer frente a uma execução hipotecária. Rubio vendeu a propriedade com prejuízos de US$ 18 mil.

"Aqueles que vasculharam o passado de Marco se mostraram preocupados com o que encontraram", conclui o documento da campanha de Jeb, que também destaca, segundo sua opinião, os poucos apoios oficiais que a candidatura de Rubio recebeu no estado da Flórida.

No debate entre os pré-candidatos republicanos à Casa Branca, o terceiro da campanha, Jeb e Rubio se envolveram em uma discussão pelas ausências do segundo no Senado.

Os moderadores da emissora CNBC perguntaram a Rubio sobre um polêmico editorial publicado em um dos principais jornais da Flórida, o Sun Sentinel, que o acusava de ser o senador que mais faltou a votações em 2015.

Rubio se defendeu no debate tachando os meios de comunicação dos EUA de "tendenciosos", e citou uma série de exemplos de senadores que concorreram em eleições presidenciais e que, segundo ele, não foram alvos de críticas da imprensa, como o caso dos democratas John Kerry, em 2004, e Barack Obama, em 2008.

No entanto, quando a pergunta já parecia respondida, Jeb Bush entrou na conversa e lembrou Rubio que o trabalho de senador não é o de "uma semana laboral francesa" na qual "só é necessário se apresentar ao trabalho por três dias".

"Marco, quando você aceitou isso, você sabia que era um mandato de seis anos. Você deveria comparecer ao trabalho. Você pode fazer campanha e renunciar, deixando que outro faça o trabalho. Há muita gente na Flórida que espera um senador que lute por eles todos os dias", alfinetou Jeb.

O senador pela Flórida respondeu às acusações do ex-governador lembrando que ele jamais se queixou pelo mesmo motivo quando o senador republicano pelo Arizona, John McCain, se apresentou às eleições em 2008, apesar de ter tido mais ausências do que ele no Senado.

"Alguém lhe disse que você vai se beneficiar me atacando", disse Rubio a seu rival nas primárias. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.