Doença de Jospin é falso mistério

A informação publicada no domingo pelo Sunday Times, de Londres, sobre a doença do primeiro-ministro francês, Lionel Jospin, não passa de um falso mistério. Ao contrário do câncer do presidente François Mitterrand, um segredo bem guardado durante grande parte de seu mandato, o hipertireoidismo de Jospin é fato conhecido da opinião pública francesa e um tema que foi tratado em diversos livros, até por ele mesmo, ainda antes de entrar na campanha presidencial.No livro publicado pelas Edições Stock, Les Temps de Répondre (Tempos de Resposta), indagado por um jornalista, o chefe do governo francês não hesitou em responder: "Minha doença não é um problema em si, mas somente um caso de ´regulagem´. O hipertireoidismo é uma questão de carburador e não de motor. Desde que o equilíbrio tenha sido restabelecido, tudo entra em ordem. Dessa forma, esse problema já ficou para trás, pertence ao passado, física e psicologicamente."O conservador Sunday Times pretendeu explorar esse assunto, dizendo que a imprensa francesa, como é de sua tradição, vinha se mostrando muito discreta, pretendendo "esconder a doença de Jospin". Responsável pelo setor de comunicação do primeiro-ministro, Marie France Lavarini considerou totalmente insensata esta versão.Entre outras coisas, o jornal afirmou que esse hipertireoidismo causa "mudanças de personalidade" e predispõe também a "mudanças de humor". Tais comentários, segundo ela, não passam de golpes baixos, lembrando que os socialistas estão à espera de outros dessa natureza durante a campanha para as eleições presidenciais de 21 de abril.Para o semanário inglês, a imprensa francesa tem se mostrado muito complacente com a doença do chefe do governo, fazendo também alusões a manifestações de mau humor do primeiro-ministro durante suas viagens de avião.Cita sua viagem ao Brasil, em abril, quando, irritado, criticou uma jornalista da agência France Presse, que havia enviado um despacho do Rio para Paris, destacando uma afirmação feita na Universidade Cândido Mendes - onde admitiu a derrota socialista nas eleições municipais francesas.Bem mais recentemente, foi também num avião que Jospin definiu o presidente Jacques Chirac, seu adversário político, como "um homem usado e cansado", uma gafe que o obrigou a pedir desculpas públicas diante de repercussões negativas mostradas por pesquisas de opinião.Esse assunto não chega a ser uma grande novidade, pois diversos livros que tratam da carreira de Jospin já falaram sobre essa Síndrome de Basedow. Florence Murraciole, no livro Lionel Jospin, Herdeiro Rebelde, trata longamente da evolução da doença, que foi detectada em 1994, mas hoje se encontra devidamente controlada e não parece constituir um problema que possa diminuir o apetite de Jospin de chegar à presidência da república.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.