Doente, ativista indiano interrompe greve de fome

O ativista indiano Anna Hazare, de 74 anos, interrompeu na quarta-feira uma greve de fome que deveria durar três dias, como parte da sua campanha pelo endurecimento das leis anticorrupção.

KAUSTUBH KULKARNI, REUTERS

28 de dezembro de 2011 | 10h39

"Decidimos que eu iria encerrar meu jejum hoje", disse Hazare, que havia iniciado a greve de fome na véspera. Com pressão baixa e sobrecarga renal, ele foi orientado pelos médicos a voltar a se alimentar.

Os deputados indianos aprovaram na terça-feira um projeto que cria o cargo de ombudsman anticorrupção, conforme reivindicara Hazare em uma greve de fome anterior neste ano, que durou duas semanas.

Mas o ativista decidiu reiniciar seu protesto porque considerou que a versão do projeto submetida ao Parlamento era branda demais, e deveria receber emendas.

A mobilização popular causada pela primeira greve de fome de Hazare neste ano forçou o governo a se comprometer a aprovar ainda em 2011 um projeto contra a corrupção no país.

O projeto segue agora para o Senado, onde o governo não tem maioria. Os senadores podem devolver o texto à Câmara para que vote eventuais emendas, retardando assim a sua aprovação final.

(Por Kaustubh Kulkarni)

Tudo o que sabemos sobre:
INDIAATIVISTAGREVE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.