Doente mental forçado a se medicar para morrer nos EUA

Um homem com problemas mentais cujos advogados argumentavam que o estado não podia executá-lo foi morto com uma injeção letal pelo assassinado de um lojista em 1979. Charles Singleton, 44 anos, foi forçado a tomar medicamentos contra esquizofrenia para que pudesse ser legalmente executado na noite de terça-feira. Advogados argumentavam que ele não poderia ser forçado a tomar medicamentos anti-psicóticos caso a sanidade induzida pelas drogas o torna-se elegível para execução. A Suprema Corte dos EUA tem considerado que é inconstitucional executar doentes mentais se eles não entendem porquê vão morrer. Mas a corte não reverteu uma decisão de um tribunal menor considerando que a medicação forçada era apropriada para o tratamento da esquizofrenia de Singleton.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.