Dois altos funcionários da CIA pedem demissão

Os dois mais altos funcionários do serviço secreto da CIA (Agência Central de Inteligência), Stephen Kappes, subdiretor de operações, e seu adjunto, Michael Sulick, pediram demissão segunda-feira. Eles faziam parte da Diretoria de Operações da CIA, seção responsável pelas ações secretas realizadas pela agência em todo o mundo O fato veio à tona depois de uma série de desentendimentos dos agentes com a nova direção do órgão, e em meio a uma onda de boatos no serviço americano de espionagem que raramente se torna público. Em um lacônico comunicado feito à noite, o diretor da CIA, Porter Goss, que assumiu em setembro, agradeceu a Kappes e Sulick por seus serviços. Antigos funcionários disseram que existe a possibilidade de as demissões provocarem agora a queda de alguns agentes do centro de contraterrorismo, serviço subordinado à Diretoria de Operações. "Há uma grande comoção entre agentes de nível intermediário. Pode ser que demitam oito pessoas", comentou o ex-chefe de contraterrorismo da CIA, Vince Cannistraro. Para muitas pessoas, Goss foi alçado ao comando da CIA para realizar uma espécie de "limpeza" na agência, que tem sido alvo de severas criticas por falhas nos meses precedentes ao ataque terrorista de 11 de setembro a Nova York, e por problemas semelhantes relacionados ao Iraque. Para outras, a nova equipe trazida por Goss do Comitê de Segurança do Congresso, que ele, ex-senador republicano da Flórida, comandou durante oito anos, está jogando "pesado demais". O que acabou provocando confrontos com os dois experientes agentes que pediram demissão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.