Dois americanos e um alemão dividem Nobel de Física

Dois pesquisadores norte-americanos e um alemão foram os vencedores do Prêmio Nobel de Física de 2001 por conseguirem alcançar um novo estado da matéria: o de gás ultra-frio, que poderá ajudar no desenvolvimento de máquinas superminiaturizadas. Eric A. Cornell, de 39 anos, do National Institute of Standards and Technology, em Boulder, Colorado; Carl E. Wieman, de 50 anos, da Universidade do Colorado e Wolfgang Ketterle, de 43 anos, um alemão que trabalha no Massachusetts Institute of Technology (MIT) vão dividir o prêmio de US$ 943.000. Cornell e Wieman conduziram suas pesquisas na Universidade do Colorado, enquanto Ketterle trabalhava independentemente na Alemanha antes de chegar ao MIT em 1990. Os pesquisadores foram escolhidos por terem descoberto um novo estado da matéria, que poderá ser usado em pesquisas de aparelhos de medidas de precisão de nanotecnologia, segundo a Real Academia Sueca de Ciências. A nanotecnologia promete criar novas possibilidades para o desenvolvimento de supercomputadores, aparelhos de comunicação além de drogas preparadas para atingir células específicas. A Academia anunciou hoje que o vencedor do Prêmio Nobel de Literatura deste ano será conhecido na próxima quinta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.