Dois americanos morrem no Iraque

Um soldado americano foi morto e outro ficou ferido quando o comboio deles foi emboscado no norte do Iraque, e outros quatro soldados ficaram feridos num aparente ataque com uma mina terrestre num luxuoso bairro de Bagdá, informaram autoridades. Outro soldado americano morreu e dois ficaram feridos quando o veículo militar no qual viajavam bateu em um trator em uma rota de abastecimento a noroeste de Talil, mais de 270 quilômetros a sudeste de Bagdá, diz o comunicado do Comando Central.Foi um dos dias mais violentos para as tropas dos Estados Unidos desde o fim da guerra, no mês passado.No norte, atiradores não identificados abriram fogo contra um comboio de oito veículos numa missão de suprimento a uma base nas proximidades da cidade de Hadithah, cerca de 190 quilômetros ao norte de Bagdá, informou o Comando Central dos Estados Unidos por meio de um comunicado.Os atiradores usaram metralhadoras e lança-granadas no ataque. O comunicado acrescentou que helicópteros foram imediatamente deslocados para a área em busca dos atacantes.A identidade dos soldados mortos não será revelada enquanto seus familiares não forem notificados.No luxuoso bairro de Yarmouk, de Bagdá, testemunhas relataram diversas explosões e 15 minutos de tiroteio na tarde de hoje, numa rodovia que leva ao aeroporto, a oeste da capital. Um soldado americano disse que houve uma emboscada, e que pelo menos um veículo Humvee foi destruído. Outro soldado, que também pediu anonimato, afirmou que o Humvee aparentemente passou sobre uma mina terrestre e que quatro soldados ficaram feridos. Tropas bloquearam a estrada, mantendo repórteres à distância e congestionando o tráfego.Em Baqubah, 70 quilômetros a nordeste de Bagdá, soldados americanos mataram a tiros uma mulher que tentava se aproximar deles carregando duas granadas de mão. O incidente ocorreu logo depois que atacantes não identificados lançaram explosivos contra soldados dos EUA guardando uma antiga base da guerrilha pró-iraniana Corpos Badr na cidade, segundo o Comando Central.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.