Dois árabes são gravemente feridos na Tríplice Fronteira

A polícia paraguaia investiga o ataque a tiros que deixou dois cidadãos libaneses feridos em Ciudad del Este, a 330 km de Assunção, na Tríplice Fronteira entre Paraguai, Argentina e Brasil, mas ainda não pôde indicar se o incidente tem relação com as investigações sobre organizações extremistas islâmicas na região. Os libaneses, identificados como Abbaf Fahs e Ghaleb Yamil Farat, receberam vários tiros e estão internados em estado grave em Foz do Iguaçu, a cidade brasileira na fronteira. Os libaneses viajavam em uma caminhonete que foi interceptada por um automóvel do qual saíram vários homens atirando contra as vítimas com armas de grosso calibre. A Tríplice Fronteira têm estado na mira das forças de segurança após os atentados de 11 de setembro, como possível refúgio de elementos vinculados a organizações terroristas do Oriente Médio. Após os ataque aos EUA, a polícia deteve vários árabes e outros estão foragidos, tanto por posse de documentos falsos como por aparentemente recolherem fundos a serem enviados a organizações de extremistas islâmicos. No entanto, uma fonte da polícia paraguaia que preferiu manter o anonimato disse que não dispõe de evidências que poderiam vincular o caso dos dois libaneses baleados às demais investigações relacionadas com o terrorismo, embora também não descarte essa possibilidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.