Dois atentados deixam 13 mortos e 50 feridos no Afeganistão

Explosão de carro-bomba do Taleban mata oito pessoas em Cabul; no sudeste do país, suicida mata cinco

Efe,

15 de dezembro de 2009 | 08h53

Policiais resgatam vítima ferida de atentado em Cabul. Foto: Ahmed Masood/Reuters

CABUL - Pelo menos oito pessoas morreram e 40 ficaram feridas em um atentado suicida nesta terça-feira, 15, em frente a um hotel frequentado por clientes estrangeiros no bairro diplomático de Cabul, informou o Ministério afegão de Interior.O ataque ocorreu pela manhã, em frente ao hotel Heetal, próximo de alguns escritórios governamentais. Segundo a polícia, um carro-bomba explodiu em frente ao prédio.

Leia ainda:

mais imagens Veja imagens dos atentados

linkAtentado a casa de ministro mata 16 e fere 30 no Paquistão

linkCarros-bomba deixam quatro mortos no Iraque

O atentado foi reivindicado pelos Taleban. O porta-voz do grupo, Zabiullah Mujahid, disse à Agência Efe que o suicida tinha como alvo o hotel - propriedade de um filho do ex-presidente Burhanuddin Rabbani - e a residência do ex-vice-presidente Ahmad Zai Massoud, próxima ao local.

O canal televisivo afegão "Tolo" mostrou imagens de um automóvel ardendo no ponto do atentado após a explosão, que causou uma fumaça visível desde vários pontos da cidade e destruiu janelas nos edifícios próximos.

 

VEJA TAMBÉM:
especial Especial: 30 anos de violência e caos no Afeganistão

O local é o bairro de Wazir Akbar Khan, sede de edifícios governamentais e dezenas de embaixadas. Por isso é uma zona muito frequentada pela maioria dos estrangeiros que vivem e trabalham na capital afegã.

Atentado em província

Outro ataque suicida matou hoje cinco pessoas - quatro afegãos e um nepalês - em um atentado cometido na sede de um escritório da equipe de Reconstrução Militar da província de Paktya, no sudeste do Afeganistão.

Segundo disse à Efe o porta-voz do governador provincial, Roohullah Samoon, a explosão ocorreu na capital provincial, Gardez, e deixou dez feridos. Entre os falecidos está uma mulher policial, afirmou Samoon.

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoatentadosCabul

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.