Dois ativistas da Irmandade Muçulmana são mortos no Egito, diz agência

Dois membros da Irmandade Muçulmana foram mortos em confronto com as forças de segurança no delta do Nilo, ao norte do Cairo, disse a agência estatal de notícias Mena nesta sexta-feira.

Reuters

11 de abril de 2014 | 10h00

Segundo o despacho, os ativistas estavam em um grupo que abriu fogo contra os policiais numa estrada entre as localidades de Tanta e Al-Mahalla al-Kubra, na província de Gharbiya.

Eles também teriam tentado incendiar um posto de controle policial, segundo a Mena. A agência estatal disse que um terceiro militante foi preso, e que outros fugiram.

Ataques a policiais e militares se tornaram comuns desde que o Exército depôs o presidente Mohamed Mursi, da Irmandade, em julho. O governo instaurado pelos militares em seguida qualificou a Irmandade como um grupo terrorista.

(Por Tom Perry)

Tudo o que sabemos sobre:
EGITOIRMANDADEMORTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.