Dois Estados querem executar franco-atirador

Promotores do Estado de Maryland informaram que farão seis acusações de assassinato contra os dois suspeitos dos crimes do franco-atirador, que deixaram treze vítimas, causando dez mortes. Eles pedirão a pena de morte para John Allen Muhammad, 41 anos, veterano da Guerra do Golfo. O suposto cúmplice de Muhammad, John Lee Malvo, de 17 anos, não enfrentará a mesma pena, mas será julgado como adulto. O Estado do Alabama também quer a pena de morte para Muhammad, por outro crime.Autoridades de três Estados americanos, e do Distrito de Colúmbia (o equivalente, nos EUA, ao Distrito Federal), reuniram-se hoje para discutir quem deveria processar os dois suspeitos.Representantes do Estado do Alabama agiram de forma agressiva, dizendo acreditar que o suspeito John Allen Muhammad é culpado da morte de uma mulher durante um assalto a uma loja de bebidas, mês passado. Os ataques do franco-atirador começaram há 21 dias. Muhammad poderá enfrentar a pena de morte por esse caso. ?Vamos fazer de alguém um exemplo?, disse o chefe de polícia da cidade de Montgomery, Alabama.Testes num rifle encontrado no carro do suspeito mostrou tratar-se da mesma arma usada em pelo menos 11 dos 14 atentados associados ao franco-atirador, disseram as autoridades. O carro havia sido modificado para que um atirador pudesse deitar de bruços e atirar por um buraco no porta-malas, informam.Muhammad, de 41 anos, foi detido sem direito a fiança, por violar uma lei federal de controle de armas. Ele e John Lee Malvo, de 17 anos, foram capturados numa parada de descanso para motoristas na madrugada de quinta-feira. Os ataques do franco-atirador fizeram vítimas nos Estados de Maryland, Virginia e no Distrito de Colúmbia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.