AFP
AFP

Dois ex-assessores da presidente sul-coreana são detidos

Um deles é acusado de abuso de poder e o outro, de ter ajudado a obter doações de grandes empresas que foram parar em fundações de amiga da chefe de Estado

O Estado de S.Paulo

06 de novembro de 2016 | 18h05

SEUL - Dois ex-assessores da presidente sul-coreana, Park Geun-Hye, foram detidos neste domingo no âmbito da investigação sobre um escândalo político que levou milhares de pessoas a pedir a renúncia da presidente.

O caso surgiu no mês passado, quando Choi Soon-sl, uma amiga muito próxima de Park, foi acusada de desvio de fundos e intromissão em assuntos de Estado, aproveitando-se de sua influência pessoal sobre a presidente.

Ahn Jong-beom, que foi assessor de Park, foi preso neste domingo pela manhã acusado de abuso de poder e tentativa de coação, informou a agência de notícias Yonhap.

Suspeita-se que Ahn tenha ajudado Choi a reunir milhões de dólares em doações de grandes empresas, como Samsung, que depois foram parar em obscuras fundações supostamente utilizadas pela confidente para enriquecer.

O Ministério Público também prendeu Jeong Ho-seong, outro ex-assessor presidencial, acusado de ter fornecido documentos confidenciais a Choi.

Em uma mensagem televisionada na sexta-feira, a presidente Park, cuja popularidade caiu muito desde o escândalo, se mostrou disposta a responder aos investigadores do Ministério Público e disse ter confiado muito em sua amiga em um momento de fraqueza. / AFP

 

Tudo o que sabemos sobre:
SamsungMinistério Público

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.