Stefan Rousseau/PA via AP
Stefan Rousseau/PA via AP

Dois feridos estão em estado de extrema gravidade, diz polícia de Londres

Há também cinco pessoas que foram atropeladas em "condição crítica"

O Estado de S.Paulo

23 de março de 2017 | 18h58

LONDRES - O estado de duas das pessoas que foram atropeladas por um veículo na quarta-feira no atentado em frente ao Parlamento britânico é de extrema gravidade, com ferimentos que "ameaçam suas vidas", segundo informou a polícia de Londres nesta quinta-feira.

Outras cinco pessoas estão em "condição crítica" após um ataque que deixou 29 feridos e 4 mortos, entre eles o agressor, que foi abatido a tiros pela polícia.

Cerca de 12 desses feridos foram internados em diversos hospitais da capital britânica, enquanto outros foram atendidos no local do incidente pelos serviços de emergência.

A Embaixada da Romênia em Londres confirmou que uma das pessoas feridas é Andreea Cristea, que se encontra em estado grave após ter saltado no Rio Tâmisa quando um veículo se aproximou da multidão na Ponte de Westminster. Outros feridos são três adolescentes franceses que visitavam Londres em uma viagem escolar.

Um porta-voz do Hospital de St. Thomas, a poucos metros do lugar onde ocorreu o ataque, afirmou que um dos dois feridos que foram internados recebeu alta, enquanto uma mulher permanece em condição estável.

O Hospital King's College confirmou que recebeu oito dos feridos, seis homens e duas mulheres, sendo que dois estão em situação crítica, enquanto seis estão estáveis e dois receberam alta.

O Hospital de Chelsea e Westminster não revelou se atendeu vítimas do ataque, apesar de a agência local "PA" ter informado que cinco dos feridos foram internados nesse centro.

Os mortos no ataque foram o policial britânico Keith Palmer, de 48 anos, a mulher de origem espanhola Aysha Frade, de 43, e o turista americano Kurt Cochran, de 54. / EFE

 

Tudo o que sabemos sobre:
ParlamentoRio Tâmisa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.