Dois fortes terremotos atingem Irã e deixam pelo menos 50 mortos

Mais de 400 pessoas ficaram feridas; Terremoto também interrompeu as comunicações via telefone, tornando os resgates mais difíceis

Reuters e Nalu Fernandes, da Agência Estado

11 de agosto de 2012 | 12h41

Pelo menos 50 pessoas morreram e mais de 400 ficaram feridas em dois fortes terremotos que atingiram o noroeste do Irã neste sábado, disse o diretor de serviços emergenciais do país, Gholamreza Masoumi, à agência local de notícias Isna, citada pela Dow Jones. Os tremores ocorreram próximo a cidade de Tabriz, onde vivem 1,5 milhão de pessoas.

 

Dois fortes tremores de terra atingiram o noroeste do Irã em um rápido intervalo, cortando comunicações e provocando pânico entre as pessoas.

 

Os abalos ocorreram próximos a Tabriz, residência de aproximadamente 1,5 milhão de pessoas, e atingiram 6,0 e 6,2 graus, segundo o Centro de Sismologia da Universidade de Teerã. O Centro de Pesquisa Geológica dos Estados Unidos, que monitora terremotos em escala mundial, classificou os tremores em 6,4 e 6,3 graus, respectivamente.

 

"Nosso acesso às vilas foi cortado e apenas podemos fazer contato por rádio", disse o diretor da Organização de Resgate da organização humanitária Sociedade do Crescente Vermelho, Mahmoud Mozaffar.

 

O porta-voz do Crescente Vermelho no Irã, Pouya Hajian, disse que os centros urbanos perto de Tabriz foram "danificados".

 

O Centro de Sismologia da universidade disse que o epicentro do terremoto ficou a 60 quilômetros de Tabriz, perto da cidade de Ahar. O segundo abalo, e de maior impacto, ocorreu minutos depois no mesmo local. Ambos aconteceram a uma profundidade de 10 quilômetros. Uma série de abalos posteriores ocorreu, segundo o centro.  

 

O Irã está localizado em uma área de diversas falhas geográficas graves e sofreu vários terremotos devastadores nos últimos tempos, o último que atingiu a cidade de Bam, em 2003, matou mais de 25.000 pessoas.

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
TERREMOTOIRA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.