Dois funcionários do metrô de Moscou são detidos por negligência

Autoridades russas disseram que a falha no monitoramento de um mecanismo pode ter causado o acidente que matou ao menos 21 

O Estado de S. Paulo

16 Julho 2014 | 11h14

MOSCOU - Autoridades russas informaram nesta quarta-feira, 16, que dois funcionários do metrô de Moscou foram detidos sob a suspeita de negligência na segurança, o que pode ter sido a causa do acidente que matou pelo menos 21 pessoas na terça-feira.

Mais de 150 passageiros ficaram feridos depois que três vagões de um trem descarrilaram durante o horário mais movimentado do metrô pela manhã. Alguns órgãos da mídia local dizem que 22 pessoas morreram.

O Comitê Investigativo, instância do governo federal, afirmou que foram detidos um supervisor e um assistente dele sob a suspeita de falha no monitoramento da atividade de um mecanismo em um túnel subterrâneo. "O trabalho foi feito de modo inadequado", disse o comitê em um comunicado. "Isso fez com que o trem saísse dos trilhos, causando a morte de 21 pessoas e vários ferimentos em mais de 150 passageiros."

O acidente foi o pior em anos no superlotado metrô de Moscou e trouxe novamente à tona a preocupação com a segurança do transporte na Rússia, cuja qualidade é irregular. Não há nenhuma evidência de que o incidente tenha sido um ataque de militantes. /REUTERS

Mais conteúdo sobre:
Moscouacidente no metrôRússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.