Dois hondurenhos processados por se recusar a ir ao Iraque

Um coronel e um major de Honduras estão sendo processados pela justiça militar por se recusarem a acompanhar os 370 soldados enviados ao Iraque em agosto. "Eles violaram os regulamentos militares e cometeram um ato de indisciplina", disse à imprensa o chefe do Estado-Maior Conjunto das forças armadas hondurenhas, general José Isaías Barahona.Os dois militares foram identificados como coronel Bayardo Bardales Martínez e o major Víctor Manuel Ferrari. O caso está nas mãos do Juizado de Instância Militar de Tegucigalpa. O presidente do Comitê de Direitos Humanos (CODEH), Andrés Pavón, informou aos jornalistas que "os militares estão sob nossa proteção... e tentaremos evitar que violem seus direitos".A tropa hondurenha no Iraque faz parte da brigada Plus Ultra, de 1.300 soldados, sob comando da Espanha. A maioria dos hondurenhos desaprova a decisão do presidente Ricardo Maduro de enviar tropas para o Iraque, segundo uma pesquisa Gallup divulgada em setembro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.