Akhtar Soomro/Reuters
Akhtar Soomro/Reuters

Dois incêndios matam 314 pessoas em fábricas no Paquistão

Em Karachi, 289 morreram em um dos piores acidentes industriais da história; em Lahore, ocorreram 25 mortes

estadão.com.br,

12 de setembro de 2012 | 02h47

Atualizado às 10h25

ISLAMABAD - Oficiais paquistaneses informaram que o número de mortos em um incêndio que destruiu uma fábrica de produtos têxteis na cidade de Karachi subiu para 289, segundo o oficial do governo, Roshan Ali Sheikh. De acordo com o chefe do corpo de bombeiros Ehtisham-ud-Din, a maioria das pessoas morreu sufocada no porão.

Veja também:

link Carro-bomba mata 14 no noroeste do Paquistão

"As equipes seguem trabalhando e é possível que haja outras vítimas", afirmou Iqbal Mehmud, chefe de polícia local, segundo a agência France Press (AFP). O desastre ocorreu, na noite de terça-feira, na sede da Ali Enterprise, um imóvel de quatro andares no modesto bairro de Baldia Town. Um dos coordenadores das equipes de resgate declarou à Geo TV que o incêndio começou por um curto-circuito em um grande gerador elétrico situado perto do principal acesso da fábrica, que se transformou em uma armadilha mortal para os trabalhadores.

A maioria dos cadáveres foi retirada do porão e do quarto andar da fábrica. As ínfimas condições trabalhistas e de segurança nas quais operam as milhares de fábricas têxteis do país serviram para transformar o incêndio em uma catástrofe. Segundo diversos meios de comunicação, no imóvel, de dois mil metros quadrados de superfície, trabalhavam amontoados entre 1,5 mil e 2 mil pessoas, entre elas vários menores, e não havia praticamente nenhuma medida básica contra incêndios.

Conforme o relato dos bombeiros, o gerador afetado serviu de tampão para a saída dos trabalhadores, muitos dos quais estavam em um porão ao qual só se podia chegar por uma pequena porta que ficou bloqueada.

A maioria dos trabalhadores conseguiu fugir antes que o imóvel ficasse totalmente envolto pelas chamas, e muitos tiveram que saltar pelas janelas, razão pela qual as equipes sanitárias atenderam dezenas de pessoas com pernas fraturadas. Durante os trabalhos de resgate, uma das principais preocupações dos bombeiros foi esfriar o mais rápido possível a estrutura do imóvel que sofreu grandes danos pela intensidade do fogo.

No mesmo dia

Outras 25 pessoas morreram na segunda maior cidade do país, Lahore, em um incidente quase igual ao de Karachi, também na noite de terça-feira. Um incêndio ocorreu após a explosão de um gerador em uma fábrica de sapatos na qual trabalhavam 45 empregados.

Com Efe e AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.