Dois indianos são atacados nos EUA

Dois indianos da religião sikh foram atacados nos subúrbios próximos ao Aeroporto Internacional de Seattle-Tacoma, aparentemente em virtude da falsa impressão de que se tratava de muçulmanos, segundo as autoridades. Homens que deixam crescer a barba e usam turbantes são, às vezes, confundidos com muçulmanos. A religião sikh vem da Índia e não tem ligação com os suspeitos pelos atentados terroristas de 11 de setembro. Desde os ataques terroristas, vários sikhs foram atacados nos EUA e o proprietário de um posto de gasolina no Estado de Arizona (EUA) foi morto. Karnail Kail Singh, que não tem barba e não usa turbante, afirmou que estava falando no telefone por volta das 8 horas da manhã de domingo, quando uma pessoa entrou no salão, e gritou: "Você ainda aqui?". Em seguida, o atacante o golpeou com uma vara de madeira e metal, até deixá-lo inconsciente. Singh levou nove pontos na cabeça. "Estou assustado, não há segurança", disse Singh, 47 anos, cidadão norte-americano original da Índia, proprietário da empresa de motores SeaTac Crest. Um homem suspeito foi detido nas proximidades e pode ser indiciado. A outra vítima, Rubinder Singh, de 23 anos, estava atravessando a rua por volta das 20h de sábado quando foi golpeado na cabeça por trás, caindo no chão. Ele recusou ajuda médica. "Eles batem em mim apenas por causa da cor da minha pele", afirmou. Segundo a polícia, uma testemunha teria ouvido um menino de cerca de 14 anos dizer: "Vou bater nele", pouco antes do ataque.

Agencia Estado,

22 Outubro 2001 | 19h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.