Edgar Su/Reuters
Edgar Su/Reuters

Dois malaios deixam a Coreia do Norte após proibição de viagens

Funcionários da ONU, os cidadãos desembarcaram em Pequim na manhã desta quinta-feira

O Estado de S.Paulo

09 de março de 2017 | 05h40

KUALA LUMPUR - As Nações Unidas disseram que dois funcionários seus naturais da Malásia deixaram a Coreia do Norte nesta quinta-feira, 9, pela manhã. A dupla faz parte do grupo de onze cidadãos malaios que estavam proibidos de deixam o território norte-coreano, em meio ao aumento da tensão entre Pyongyang e Kuala Lumpur depois do assassinato de Kim Jong-nam.

Os dois malaios liberados eram funcionários do Programa Alimentar Mundial na Coreia do Norte. A coordenadora global do projeto, Jane Howard, disse que eles chegaram em Pequim na manhã de quinta.

A Coreia do Norte baniu nesta semana a saída de malaios do seu território. Medida similar foi adotada por Kuala Lumpur.

A disputa diplomática tem conexão com o assassinato de Kim Jong-nam, meio-irmão do líder norte-coreano, Kim Jong-un. Ele morreu no Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur em 13 de fevereiro, após ser atacado com o agente nervoso VX, classificado como arma de destruição em massa pela ONU. 

As duas mulheres responsáveis pelo ataque, uma indonésia e outra vietnamita, foram presas e indiciadas. Autoridades malaios suspeitam que ao menos quatro norte-coreanos teriam conexões com o crime. Pyongyang acusa a Malásia de parcialidade nas investigações, enquanto Seul acusa o regime comunista de estar por trás da complexa trama. / ASSOCIATED PRESS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.