Dois membros do ETA são condenados a 290 anos de prisão

Uma audiência nacional condenou neste sábado, 7, por 290 anos de prisão, Ibón Echezarreta e Luis María Carrasco como sendo responsáveis por um atentado com bomba cometido em 11 de novembro de 2000 em um quartel da Polícia Civil na Espanha.Ambos membros do grupo terrorista ETA foram sentenciados também pela morte de 16 pessoas no atentado e por cometer um ato anti-humano.O tribunal exigiu ainda que os condenados devem pagar US$ 3,3 milhões às pessoas, organizações e entidades afetadas pelo atentado e ainda os proíbem de visitar a cidade de San Sebastián até cinco anos depois do cumprimento da pena.A organização espanhola ETA assumiu a autoridade pelos atentados ao posto policial oito dias após os ataques, por meio de um anúncio em um jornal local.Os condenados foram detidos logo após o anúncio do ETA, juntamente com outros membros da rede terrorista, em uma operação militar realizada em 22 de agosto de 2001.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.