Queensland Police Service
Queensland Police Service

Dois meses após contaminação de morangos, agulha é encontrada em pimentão na Nova Zelândia

Autoridades não têm informações se os casos são relacionados; no início de novembro, a polícia australiana prendeu uma mulher suspeita de envolvimento com a contaminação

O Estado de S.Paulo

26 de novembro de 2018 | 11h01

WELLIGNTON - Agulhas foram encontradas dentro de um morango e de um pimentão na Nova Zelândia. Os casos foram reportados neste final de semana em Geraldine, na Ilha Sul, e em Tauranga, na Ilha Norte. De acordo com um porta-voz da polícia neozelandesa, ninguém ficou ferido.

As autoridades não têm informações se os frutos foram produzidos na Nova Zelândia ou importados da Austrália, onde, há dois meses, dezenas de morangos foram contaminados no país. Também não se sabe se eles fazem parte de um lote de morangos que já haviam sido alvo em setembro.

No dia 12 de novembro, a polícia australiana prendeu uma mulher de 50 anos de idade suspeita de ter envolvimento no caso. Os casos obrigaram os produtores da fruta a adotar o uso de detectores de metal.

Na Nova Zelândia, esse é o segundo episódio. Segundo o jornal "New Zealand Herald" noticiou em setembro, a rede de supermercados Countdown retirou das prateleiras os morangos da marca australiana Choice, cujos produtos estavam com as agulhas. 

Neste último final de semana, a Countdown reportou às autoridades um pimentão espetado com a agulha. “Nós estamos em contato tanto com o cliente quanto com o Ministério do Setor Primário. A questão está com a polícia da Nova Zelândia, que está investigando”, disse ao "New Zealand Herald" um porta-voz da empresa. “Nós levamos a segurança alimentar extremamente a sério e trabalharemos junto à polícia e ao governo para cooperar inteiramente com a investigação.”

“Nessa altura, o Ministério não tem razão para acreditar que isso é mais difundido do que uma simples descoberta. No entanto, como uma medida de prevenção, a loja removeu morangos das lojas”, disse ao site Newshub um porta-voz do governo neozelandês.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.