Dois mil policiais procuram estuprador foragido em Tel Aviv

Cerca de 2 mil policiais procuram, na região de Tel Aviv, um estuprador em série condenado a 35 anos de prisão que conseguiu fugir nesta sexta-feira graças a um plano habilidoso. Benny Sela, que cumpria pena por estupro, abuso sexual e sodomia, escapou nesta sexta, quando era levado a uma corte judicial para uma reunião fictícia. O comandante do distrito de Tel Aviv reconheceu que a fuga de Sela foi decorrente de um "erro grave". Por sua vez, o ministro de Segurança Interior, Avi Dichter, ordenou uma investigação externa sobre o ocorrido, anulando uma decisão do chefe da Polícia, Moshe Karadi, que havia determinado a formação de uma comissão interna. Sela conseguiu ser removido da prisão depois que apresentou às autoridades penitenciárias uma convocação de um tribunal que foi tida como verdadeira, apesar de seu processo estar encerrado e de a corte em questão não funcionar às sextas-feiras, como acontece em quase todas as repartições públicas na véspera do Shabat. A fuga aconteceu quando o furgão em que Sela viajava com outro preso estacionou no pátio do edifício de um tribunal. Dando mostras de agilidade extraordinária, o estuprador conseguiu fugir saltando um muro de 2,30 metros coberto por arame farpado, mesmo estando algemado e medindo 1,65 metro. Desde então, a Polícia segue sem sucesso o rastro do foragido. As primeiras pistas sobre o paradeiro do fugitivo foram fornecidas ontem à Polícia por uma pessoa que viu um homem tirando as calças do uniforme usado pelos presidiários - que foram achadas posteriormente pelos agentes -, permanecendo apenas com as calças de couro que usava por baixo. Um vizinho da mãe do estuprador disse ter visto hoje um homem parecido com Sela na casa da mulher, e outra testemunha diz tê-lo visto fugindo do bairro. Benny Sela foi detido em 1999 e condenado em 2000, depois de vitimar, ao longo de cinco anos seguidos, diferentes mulheres e crianças, a quem atacava em suas casas de noite ou de madrugada. Após cometer os estupros, Sela, que ameaçava suas vítimas com uma faca enquanto cometia o crime, obriga-as a se lavarem para que não ficassem rastros de seu DNA. A Polícia ofereceu proteção às vítimas do estuprador, temendo uma vingança do criminoso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.