Dois mortos em ataque de homem-bomba na Estônia

Duas pessoas morreram e três ficaram feridas no extremo norte da capital da Estônia nesta manhã, quando um homem explodiu a si mesmo, depois de tomar uma policial como refém. A polícia rapidamente afirmou que o ato não esteve relacionado a grupos terroristas. O homem-bomba, que não foi identificado, fez a policial de refém dentro de um ônibus da polícia no bairro residencial de Oismae, disse o porta-voz Robert Antropov. O agressor vestia um cinturão com explosivos. A detonação matou o homem-bomba e a refém, Julia Gorbatsjova, da unidade canina da polícia.A porta-voz da procuradoria do Estado, Erle Rude, disse que "foram descartadas quaisquer ligações com terroristas". "Não foi um ato terrorista, estamos certos disso. Parece mais um problema de relacionamento", declarou. Segundo Rude, o homem-bomba aparentemente tinha "uma ligação pessoal" com uma mulher que vivia numa casa próxima ao local da explosão, e que havia chamado a polícia. Policiais retiraram o agressor da casa da mulher. Por motivos desconhecidos, o homem entrou no veículo policial que aguardava do lado de fora e tomou Gorbatsjova como refém.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.