Dois mortos em atentado com carro-bomba na Colômbia

Duas pessoas, uma delas uma agente do esquadrão antiterrorista da polícia, morreram e pelo menos sete civis ficaram feridos na explosão de um carro-bomba na cidade colombiana de Arauca, no leste do país, pouco antes da chegada ao município do presidente Alvaro Uribe e de comandantes militares.Além da morte da agente e de um técnico antiexplosivos da polícia, entre os feridos está um adolescente de 14 anos, em estado grave, disseram as autoridades. O porta-voz da XVIII Brigada Militar do Exército, coronel Jesús Ruiza, atribuiu o atentado aos guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e do Exército de Libertação Nacional (ELN), que operam na região.O atentado ocorreu às 9h15 da manhã (hora local), perto do colégio Cristo Rey, no centro da cidade, quando os policiais prestavam serviços de vigilância na zona central de Arauca antes da chegada de Uribe, acompanhado dos chefes militares, depois de as autoridades terem recebido um informe sobre um eventual atentado.A explosão causou severos danos a residências, casas comerciais, um hospital, além do próprio colégio.Apesar do atentado, a ministra da Defesa, Martha Lucía Ramírez, confirmou a visita do presidente, acompanhado dos comandantes. Arauca é uma das chamadas "zonas de consolidação e reabilitação", nas quais o governo Uribe impôs medidas excepcionais de segurança para restabelecer a ordem pública. As medidas incluem detenções sem ordem judicial, toques de recolher e maior controle dos habitantes. Apesar das medidas adotadas, os guerrilheiros continuaram realizando ataques contra a infra-estrutura energética e viária do departamento (Estado) de Arauca, rico em petróleo e que faz fronteira com a Venezuela.Outra explosão ocorreu nesta segunda-feira no centro da cidade de Barranquilla, na costa do Caribe, deixando, até o início desta tarde, quatro feridos e danos materiais. O chefe de polícia do departamento de Atlántico, coronel Luis Andrés Estupiñan, atribuiu o atentado às facções urbanas da guerrilha das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), que operam nesta cidade localizada a 700 km ao norte de Bogotá.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.