Dois noruegueses são condenados à morte

A Justiça Militar do Congo condenou ontem à morte dois militares noruegueses da reserva por espionagem, assassinato e porte de armas de guerra. Tjostolv Moland e Joshua French (foto) teriam assassinado, em maio, o motorista congolês que os transportava para a cidade de Kisangani. Eles também teriam tentado matar uma das testemunhas do crime. A Justiça exige que eles paguem US$ 60 milhões em indenizações. Oslo criticou duramente a sentença e disse que se opõe, "por princípio, à pena de morte, em qualquer local do mundo". A defesa tem cinco dias para recorrer. Autoridades norueguesas disseram ter recebido garantias de que a pena não será aplicada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.