Dois palestinos morrem em protesto contra barreira

Centenas de palestinos, incluindo fazendeiros e estudantes, apedrejaram israelenses que tentavam preparar o terreno para mais um trecho da barreira que vem sendo construída por Israel para isolar a Cisjordânia. Soldados abriram fogo contra os agressores e dois palestinos morreram. Dezenas de outros ficaram feridos.A tentativa de deter as obras, um dia depois de a corte internacional de Haia ter concluído as audiências sobre a legalidade da barreira, parece representar uma nova tática de protesto. No passado, os manifestantes se mantinham à distância dos operários.Na Faixa de Gaza, dois palestinos ligados ao partido Fatha, de Yasser Arafat, mataram um soldado israelense antes de serem abatidos a tiros no posto de fronteira de Erez. O posto, por onde 19.000 palestinos passam todos os dias rumo ao trabalho, foi fechado.Palestinos alojados no complexo que serve de base a Arafat abriram fogo contra jipes israelenses estacionados do lado de fora, informam testemunhas. Os soldados responderam ao fogo, mas não há notícia de feridos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.