Dois palestinos são baleados e dois se rendem na Natividade

Em mais um dia tenso na Basílica da Natividade, soldados de Israel balearam dois palestinos refugiados no interior do templo, matando um deles, e mais dois palestinos saíram com as mãos para o alto e entregaram-se para os soldados israelenses. Israelenses e palestinos retomaram esta noite as negociações sobre o impasse de três semanas que envolve o local onde, segundo tradição religiosa, nasceu Jesus Cristo. A reunião - realizada a poucos metros da igreja, no Centro de Paz de Belém - foi precedida por um breve tiroteio no momento em que os negociadores entravam no local. Mais tarde, o prefeito de Belém, Hanna Nasser, declarou à Associated Press que não houve avanço em relação ao fim do impasse. No entanto, os dois lados concordaram com a remoção de dois cadáveres que passaram mais de uma semana no interior da igreja e deverão reunir-se novamente amanhã, disse ele. A situação dentro da basílica é cada vez pior à medida que a comida vai acabando. O impasse em Belém é um dos muitos que mantém acesa a chama do conflito no Oriente Médio. Hoje, pelo menos seis palestinos morreram além do policial morto na igreja - sendo dois deles numa ofensiva militar israelense nos arredores de Hebron, na Cisjordânia. Um garoto foi assassinado quando estudantes entraram em choque com soldados perto de uma escola onde os militares efetuavam prisões no vilarejo de Jabaa, e mais três em uma suposta tentativa de atentado à bomba nos arredores de um assentamento judaico na Faixa de Gaza. Em Ramallah, no cercado quartel-general de Yasser Arafat, o líder palestino recebeu uma delegação enviada pela União Européia (UE) liderada por Javier Solana, chefe da política externa européia. Arafat ressaltou a importância de uma "imediata retirada israelense dos territórios palestinos", disse Nabil Abu Rdeineh, assessor de Arafat. Israel recuou suas tropas da maior parte das cidades da Cisjordânia após mais de três semanas de invasão, mas continua com seus soldados sitiando o QG de Arafat e patrulhando boa parte de Belém, onde fica a Basílica da Natividade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.