Dois policiais morrem e sete ficam feridos em Xinjiang

Segundo oficial, sete homens e uma mulher estão envolvidos; apenas um deles foi preso

Associated Press,

28 de agosto de 2008 | 05h54

A primeira onda de violência na região chinesa de Xinjiang, desde os ataques durante os Jogos Olímpicos, deixou dois policiais chineses mortos e sete feridos, disseram autoridades e ativistas nesta quinta-feira, 28. O conflito na região predominantemente muçulmana aconteceu nesta quarta-feira em uma vila na região de Jiashi.  Um oficial da polícia disse que oito uigures - sete homens e uma mulher - estão envolvidos. Um homem foi capturado, mas os outros ainda estão foragidos, disse o oficial, sob a condição de anonimato. A região passou por três ataques durante e antes dos Jogos Olímpicos. Vídeos também surgiram na internet, ameaçando a realização das Olimpíadas. Quatro dias antes do início das competições, 16 policiais morreram na cidade de Kashgar, vítimas de ataques com bombas e facas promovidos por dois homens acusados de serem militantes islâmicos separatistas. Em 10 de agosto, 17 lugares - incluindo uma estação policial, um edifício governamental, bancos e lojas - na antiga cidade da rota da seda, Kuqa. Das oito vítimas fatais, sete eram suspeitos de terem atirado bombas numa delegacia de polícia e outros prédios do governo. As explosões mataram um policial - a 8ª vítima - e feriram quatro pessoas. Dois dias depois, homens armados com facas pularam de um veículo e atacaram um posto policial em uma estrada na cidade de Yamanya, apunhalando quatro soldados. Três deles morreram.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaXinjiangviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.