Whitney Curtis/The New York Times
Whitney Curtis/The New York Times

Dois policiais são baleados na frente da delegacia de Ferguson

Caso ocorreu horas após chefe da polícia local deixar o cargo; policiais feridos foram para o hospital e estão conscientes 

O Estado de S. Paulo

12 Março 2015 | 09h46

FERGUSON - Dois policiais foram feridos por disparos durante um protesto do lado de fora da delegacia de Ferguson, no Estado americano de Missouri, na madrugada desta quinta-feira, 12, horas após o chefe de polícia da cidade ter deixado o cargo depois que um relatório do Departamento de Justiça dos EUA criticou a corporação.

Jackson foi o sexto funcionário que pediu demissão ou foi dispensado depois da divulgação do relatório do Departamento de Justiça falando em um sistema judicial com fins lucrativos e um forte viés racial no departamento de polícia de Ferguson.

O chefe de polícia de St. Louis, Jon Belmar, disse a repórteres que um policial de 41 anos de seu departamento foi atingido no ombro, e um agente de 32 anos do departamento próximo de Webster Groves levou um tiro no rosto durante protestos.

Ele disse que os dois policiais, que não foram identificados por ele, estavam conscientes e sendo tratados em um hospital local. Mais tarde, o departamento disse em um comunicado que os dois estavam em uma condição grave.

"Esses policiais estavam parados lá e foram baleados simplesmente porque eram policiais. Para ser honesto, eu não sei quem fez os disparos", disse Belmar, acrescentando que não tinha como fornecer a descrição de um suspeito ou a arma usada no ataque.

Após os disparos, policiais armados e com coletes à prova de balas circularam a delegacia e mais de dez veículos policiais bloquearam a rua.

Dezenas de manifestantes se reuniram em frente ao departamento policial de Ferguson na quarta à noite, poucas horas depois de o chefe da polícia da cidade, Thomas Jackson, anunciar a renúncia.

A manifestação começou de forma pacífica, mas cerca de 20 policiais vestidos com equipamento de choque entraram em confronto com os manifestantes mais tarde. Pelo menos duas pessoas foram detidas.

Manifestantes cobravam a remoção de Jackson desde a morte do jovem negro Michael Brown, que estava desarmado e foi baleado pelo policial branco Darren Wilson em agosto do ano passado. O caso desencadeou protestos em todo país.

Quando Wilson foi liberado em novembro por um júri popular, a decisão deu início a mais protestos, saques e incêndios. O episódio desta quinta-feira é o primeiro em que um policial é ferido a tiros durante um protesto. /AP e REUTERS

Mais conteúdo sobre:
EUA Ferguson violência policial Missouri

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.