Dois representantes de partido são assassinados no México

Dois representantes do esquerdista Partido da Revolução Democrática (PRD) foram assassinados neste domingo no Estado de Guerrero, no sul do México, horas antes da abertura das seções eleitorais onde trabalhariam como observadores, informaram fontes estaduais.Segundo o Instituto Federal Eleitoral (IFE), responsável pelas eleições presidenciais do México, aparentemente, as vítimas foram mortas em um assalto na cidade de Tlacotepec.O procurador do Estado de Guerrero, Eduardo Murueta, disse que as vítimas são Prudencio Nava Reina e Filiberto Mercado Adame.O presidente do PRD em Guerrero, Sebastián de la Rosa, disse à Efe que os dois pertenciam ao partido e foram assassinados por desconhecidos.O secretário-executivo do IFE, Juan Manuel López Bernal, afirmou que, segundo as autoridades estaduais, as mortes foram conseqüência de "um assalto ou roubo". Ele anunciou que medidas já foram tomadas para esclarecer os fatos.O Partido Ação Nacional (PAN), atualmente no governo, se manifestou através de seu conselheiro no IFE, Germán Martínez Cáceres, condenando o crime e manifestando sua solidariedade ao PRD.Na manhã deste domingo, o prefeito de Acapulco, Félix Salgado Macedonio, votou escoltado por mais de 40 agentes da polícia e de seu guarda pessoal.Nas últimas semanas, a cidade de Acapulco foi cenário de crimes contra agentes policiais. No último incidente, dois agentes foram encontrados decapitados em 30 de junho.Fora os dois assassinatos, as eleições transcorrem com calma na maioria dos 32 Estados mexicanos, onde 71,3 milhões de pessoas estão convocadas para votar.Neste pleito, será escolhido o sucessor do presidente Vicente Fox, disputa na qual três dos cinco candidatos têm chances de vitória. Eles são Andrés Manuel López Obrador, da esquerda, o conservador Felipe Calderón e o candidato do Partido Revolucionário Institucional (PRI), Roberto Madrazo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.