Dois sinais compatíveis com os de caixas-pretas são detectados no Índico

Equipes de resgate australianas acreditam que pulsos podem levar a destroços do avião da Malásia

O Estado de S. Paulo,

07 de abril de 2014 | 09h22

PERTH, AUSTRÁLIA - O navio australiano Ocean Shield detectou dois sinais "promissores" na área do Oceano Índico onde se concentra a busca do avião da Malaysia Airlines desaparecido há um mês com 239 pessoas a bordo. As equipes de busca correm contra o tempo para encontrar as caixas-pretas do Boeing 777-200 antes que suas baterias acabem. Sinais de satélites indicam que o voo MH370 caiu no Oceano Índico.

De acordo com o chefe do Centro de Coordenação de Agências Conjuntas, Angus Houston, os dois sinais são "consistentes" com os quais emitem os dispositivos de registro de voo e das conversas da cabina das caixas-pretas. "Essa é a pista mais promissora nesta busca e até o momento a melhor informação da qual dispomos", disse Houston. "Ainda não encontramos o avião, precisamos confirmar essa informação."

O Ocean Shield, que transporta um sofisticado localizador de caixas-pretas emprestado pelos Estados Unidos e uma pequena nave submarina autônoma, detectou estes sinais em dois eventos separados no setor norte da zona de busca. O primeiro sinal captado durou duas horas e 20 minutos até que o contato foi perdido.

Horas mais tarde, depois que o navio girou para recuperar esse sinal, foi registrado uma segunda emissão de cerca de 13 minutos na qual se obteve "um retorno" do pulso.

Houston disse que o Ocean Shield tenta captar novos sinais para fixar a localização antes de ativar um veículo submarino autônomo para que confirme a presença do avião nesta região de cerca de 4,5 mil metros de profundidade. / EFE

Tudo o que sabemos sobre:
Voo MH370Malaysia Airlines

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.