Dois tenentes-coronéis americanos são mortos no Iraque

O comando militar americano no Iraque informou nesta terça-feira que dois tenentes-coronéis morreram em novembro no país árabe. Os oficiais estão entre os soldados de maior patente mortos desde a invasão do país, em 2003. Os militares informaram também que o número de baixas fatais dos Estados Unidos em novembro subiu para 19 depois que um soldado foi morto pela explosão de uma bomba de beira de estrada em Bagdá na segunda-feira. No mês passado, mais de 100 soldados americanos morreram no país árabe. Um soldado do Reino Unido também foi morto em Basra na segunda-feira, na primeira baixa britânica desse mês. Os tenentes-coronéis Eric J. Kruger e Paul J. Finken, ambos de 40 anos, foram mortos na última quinta-feira em decorrência da explosão de uma bomba de beira de estrada no leste de Bagdá. O sargento Joseph A. Gage, de 28 anos, também morreu no atentado. Nesta terça-feira, seis soldados iraquianos também morreram em ataques de atiradores de elite e após a explosão de uma bomba de beira de estrada em Karmah, a 80 quilômetros a oeste de Bagdá. A cidade está situada no coração do triângulo sunita que é berço da maioria da insurgência contra as tropas americanas. Também nesta terça-feira, soldados americanos trocaram tiros com atiradores iraquianos na cidade de Ramadi, também um centro sunita pró-Saddam Hussein. Ainda não há informações sobre baixas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.