Dolly, a ovelha clonada, tem artrite

Dolly, a primeira ovelha clonada do mundo, contraiu artrite com a idade relativamente jovem de cinco anos e meio, informou nesta sexta-feira um de seus criadores. O anúncio renova a polêmica sobre a suscetibilidade dos animais clonados ao envelhecimento precoce e a outros problemas de saúde. "Dolly tem artrite na pata traseira esquerda", disse Ian Wilmut, do Instituto Roslin, em Edimburgo, Escócia. "Não há nenhuma forma de saber se isto se deve à clonagem ou se é apenas uma casualidade", disse Wilmut, em entrevista à rádio BBC. Dolly nasceu em um centro de pesquisas escocês em 1996. A ovelha foi o primeiro mamífero no mundo clonado a partir de um adulto. Os cientistas do Instituto Roslin anunciaram seu nascimento em 23 de fevereiro de 1997. Segundo Wilmut, apesar da artrite, Dolly é um animal saudável que pariu seis cordeiros. Além disso, continua sendo um caso singular devido ao fracasso de outras experiências semelhantes. Fetos deformados com órgãos grandes demais morreram no útero ou logo após o nascimento. As dimensões de alguns eram o dobro do habitual. Em 1999, os cientistas advertiram que as células de Dolly - clonada de uma ovelha de seis anos - mostravam sinais de envelhecimento próprios de um animal mais velho. Para alguns geneticistas, esta é uma prova de que o plano genético original do animal se desgasta quando é feita uma cópia.

Agencia Estado,

04 Janeiro 2002 | 15h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.