Donetsk: retomada de aeroporto causou a morte de 40

O prefeito de Donestsk, Oleksandr Lukyanchenko, disse que 40 pessoas, incluindo dois civis, foram mortos ontem após tropas oficiais repelirem uma tentativa de tomada de controle por parte dos rebeldes do aeroporto da região, o segundo maior da Ucrânia.

AE, Agência Estado

27 Maio 2014 | 12h10

Líderes rebeldes, no entanto, contestam o número de mortos informado por Lukyanchenko e dizem que as vítimas fatais podem subir para cem.

Apesar da violência de ontem, a cidade de 1 milhão de habitantes estava relativamente tranquila no período da tarde depois de um incêndio criminoso na parte da manhã em um ringue de hóquei. Tiros ocasionais foram ouvidos pela manhã do lado de fora do aeroporto de Donetsk.

Os corpos de cerca de 30 insurgentes foram levados para o necrotério do hospital de Donetsk, disse o separatista do grupo República Popular de Donetsk Leonid Baranov, que afirmou que as tropas ucranianas atacaram um caminhão que levava rebeldes feridos para serem socorridos.

Baranov disse ainda que provavelmente até 100 pessoas foram mortas nos combates de segunda-feira, acrescentando que muitos dos corpos ainda não foram recuperados porque estavam em áreas sob controle do governo.

"Como eles estão controlando o aeroporto e a luta foi travada lá, não podemos agora identificar exatamente quantas vítimas tivemos", disse Baranov, acrescentando que centenas ficaram feridos nos combates.

Jornalistas da Associated Press viram muitos corpos empilhados no necrotério, mas não puderam contá-los imediatamente ou confirmar as declarações de Baranov.

A agência de notícias russa Itar-Tass trouxe uma reportagem dizendo que, segundo o líder insurgente Denis Pushilin, até cem pessoas foram mortas, sendo que até metade podem ser civis. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Ucrânia Donetsk aeroporto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.