Jorge Silva/Reuters
Jorge Silva/Reuters

Dono da Globovisión na Venezuela pedirá asilo político nos EUA

Acusado de corrupção por Chávez, Guillermo Zuoloaga diz sofrer perseguição do presidente

AE, Agência Estado

25 de novembro de 2010 | 17h25

O presidente e dono da emissora de televisão Globovisión da Venezuela, Guillermo Zuloaga, que fugiu no começo deste ano para evitar ser detido sob acusações criminais, disse à mídia norte-americana que pretende pedir asilo nos Estados Unidos. Zuloaga afirma que é perseguido pelo presidente da Venezuela, Hugo Chávez.

Zuloaga, de 67 anos, se disse confiante à emissora de televisão CNN, dos EUA, de que receberá asilo do governo norte-americano em breve. A Venezuela acusou Zuloaga num esquema de venda ilegal de automóveis e agentes policiais invadiram a casa do empresário. A Globovisión permanece no ar, apesar da sua cobertura fortemente crítica a Chávez e das tentativas do governo de fechá-la.

Em um evento do governo transmitido pela televisão estatal venezuelana, o presidente do país disse que Zuloaga agia sob ordens da Agência Central de Inteligência (CIA) dos EUA.

 

"Com qual passaporte ele entrou nos EUA? Quem deu a ele um visto?", questionou o mandatário. "Foi a CIA, conspirando contra a Venezuela, junto ao Departamento de Estado", acusou Chávez.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.