Dono diz que gato telefonou para a polícia

A polícia não sabe como explicar, mas quando um policial entrou num apartamento para atender a um chamado para o 911 (número para chamadas de emergência nos EUA) , um gato laranja listrado estava deitado junto a um aparelho de telefone, no chão da sala. O dono do gato, Gary Rosheisen, estava no chão do quarto, junto à cama, depois de cair da cadeira de rodas.Rosheisen acredita que o gato, Tommy, deve ter apertado a tecla de memória onde estava armazenado o número de emergência. "Sei que soa esquisito", disse o policial Patrick Daugherty, incapaz de encontrar outra explicação. Rosheisen afirma que é incapaz de se levantar, por conta das dores provocadas pela osteoporose e de miniderrames que atrapalham seu equilíbrio. Ele também não estava usando o colar de alerta médico e foi incapaz de alcançar a corda que ativava o chamado dos paramédicos.Daugherty disse que a polícia recebeu um chamado do apartamento de Rosheisen, mas que ninguém falou com o operador do outro lado. As autoridades decidiram mandar um carro ao local para checar se tudo estava bem.O telefone da sala é um viva-voz e fica sempre no chão. O aparelho tem uma tecla programada para discar 911 automaticamente. Rosheisen diz que havia tentado treinar o gato para ativá-la, mas não tinha certeza se o treinamento havia funcionado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.