Dossiê sobre armas de Saddam causou embaraço a Londres, admite Straw

Um dossiê britânico sobre armas de destruição em massa iraquianas que incluiu material retirado da Internet deixou o governo numa situação embaraçosa, admitiu hoje o secretário do Exterior Jack Straw. Mas, depondo perante um comitê da Câmara dos Comuns, Straw defendeu outro dossiê do governo que garantia que algumas das armas de destruição em massa de Saddam Hussein estariam prontas para ser usadas num prazo de 45 minutos."Não dou a essa declaração dos 45 minutos a importância que lhe foi atribuída. Nem eu nem ninguém mais", considerou Straw no Comitê de Assuntos Externos Selecionados.Os dois dossiês britânicos, publicados em setembro e janeiro, visavam fortalecer os argumentos do primeiro-ministro Tony Blair de que programas de desenvolvimento de armas químicas, biológicas e nucleares de Saddam Hussein representavam um perigo para a Grã-Bretanha.Blair passou a sofrer fortes pressões depois que forças da coalizão no Iraque não encontraram evidências da existência de tais armas no Iraque. O segundo dossiê, o que Straw disse ter sido embaraçoso, continha material de uma tese escrita 12 anos atrás por um pesquisador dos Estados Unidos e que foi copiado, com pequenas mudanças, da Internet. ?O erro aí cometido foi o de que, por tratar-se de um documento que incluía informações de inteligência, não tenha sido submetido aos procedimentos nem à revisão apropriada?, disse Straw."Naturalmente, foi uma situação embaraçosa para o governo e lições foram aprendidas". Straw reconheceu como "um erro substancial? o fato de fontes do documento não terem sido apropriadamente identificadas.O primeiro dossiê trazia a garantia de que algumas armas químicas e biológicas poderiam ser usadas 45 minutos após ser dada uma ordem para acioná-las. A BBC recentemente citou fontes de inteligência dizendo que não acreditavam na denúncia, mas que ela foi incluída por insistência do chefe de comunicação de Blair, Alastair Campbell. Blair tem dito que a afirmação foi aceita pelo Comitê Conjunto de Inteligência. Campbell aceitou testemunhar perante o comitê amanhã.Segundo Straw, a denúncia dos 45 minutos "era parte do caso, mas sugerir que era o grosso do caso é, francamente, besteira?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.