Doze dias no fundo de Loch Ness. E nenhum monstro

Lloyd Scott passou exatamente 12 dias no fundo de Loch Ness, mas não encontrou nem sinais de seu legendário monstro. Ele emergiu, hoje, em Lochend, perto de Inverness, na Escócia, depois de ter andado 42 quilômetros no fundo do lago em um antigo traje de escafandro, que foi peça da primeira maratona sob a água. Ele começou a travessia no dia 28 de setembro em Fort Augustus, do outro lado do lago. Segundo, Scott, um inglês de 41 anos de Rainham, leste de Londres, foi uma jornada dura.?Tive de enfrentar uma visibilidade muito baixa, que em certas horas era nenhuma, e lutar contra a resistência e a pressão da água?, contou a repórteres.?Não se sabe o que está sob nossos pés ? às vezes é lama, lodo, pedras, outras vezes, nada. A linha de água também desaparece e eu ainda tive de me livrar de um composto de dióxido de carbono no capacete.?Há séculos, pessoas contam ter visto um monstro marinho no lago, mas a despeito dos esforços de vários cientistas, a existência de Nessie nunca foi provada.Scott tornou-se conhecido por completar maratonas em roupa de mergulho; esta foi a primeira vez que a usou para seu propósito específico. ?Foi muito mais difícil usá-la sob a água do que em terra?, ele assegura. Um ex-bombeiro e jogador profissional de futebol, Scott passou mais de um mês treinando para a maratona, com a qual pretendia levantar fundos que destinará para a ong Children with Leukaemia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.