Drama de reféns sul-coreanos do Taleban chega ao fim

Grupo libertou os últimos três missionários; seqüestro já durava seis semanas

Agências internacionais,

30 de agosto de 2007 | 13h29

Militantes do grupo islâmico Taleban soltaram os últimos três dos 21 missionários sul-coreanos que eram mantidos reféns no Afeganistão, informaram testemunhas nesta quinta-feira, 30.   Com o desfecho, o drama vivido pelos religiosos e seus familiares na Coréia do Sul chega ao fim, após seis semanas de tensão.Os sete últimos reféns, divididos em dois grupos, foram entregues a representantes do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) numa estrada na província de Ghazni, testemunhou um repórter da Associated Press. Nenhum dos reféns fez qualquer comentário.As duas mulheres e dois homens, acompanhados por três homens armados, estavam cobertos de poeira quando foram entregues por homens armados aos agentes.Os três eram os últimos dos 19 reféns que começaram a ser libertados na quarta-feira, 29, depois que membros da milícia e negociadores sul-coreanos chegaram a um acordo na terça-feira. Os sul-coreanos foram soltos em três grupos separados e entregues ao CICV em diferentes localidades próximas de Ghazni, na região central do Afeganistão.O primeiro grupo, composto por três mulheres, foi deixado em Qala-e-Kazi. Depois de algumas horas, quatro mulheres e um homem foram soltos perto de uma área desértica de Shah Baz. No fim da tarde, mais quatro reféns foram soltos em uma estrada a cerca de 50 quilômetros de Ghazni.Cheon Ho-sun, porta-voz do governo da Coréia do Sul, disse que os reféns seriam primeiro levados a Cabul antes de seguirem viagem para Seul.Com base num acordo fechado na terça-feira, os insurgentes comprometeram-se a libertar todos os reféns no máximo em 48 horas.  O Taleban não explicou por que preferia libertar os cativos em pequenos grupos, mas acredita-se que a decisão esteja relacionada com a dificuldade logística, umas vez que os reféns eram mantidos em cativeiros distintos, distantes uns dos outros. SeqüestroDos 23 missionários seqüestrados inicialmente pelo Taleban enquanto viajavam de Cabul para Kandahar, dois foram mortos, dois soltos em demonstração de "boa vontade" e os outros 19 libertados após o acordo de terça-feira.O governo de Seul afirmou que o acordo para libertar os 19 reféns tem como condição a retirada das tropas do país ainda este ano e a proibição de que sul-coreanos exerçam atividades missionárias no Afeganistão. A Coréia do Sul já havia decidido antes da crise em retirar seu contingente de cerca de 200 engenheiros e funcionários médicos do Afeganistão até o fim de 2007. Desde que os voluntários foram seqüestrados, o governo proibiu seus habitantes de viajarem ao país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.