Duas bombas matam 32 pessoas e ferem outras 100 em cidades paquistanesas

Explosões de bombas em duas cidades do Paquistão mataram 32 pessoas e feriram mais de 100, disseram funcionários de um hospital e a polícia.

GUL YUSUFZAI E JIBRAN AHMAD, Reuters

10 de janeiro de 2013 | 15h07

Uma bomba em Quetta, a capital da província do Baloquistão, no leste, matou 11 pessoas e feriu mais de 40, disse o policial Zubair Mehmood. Um grupo militante local reivindicou a autoria.

Outras 21 pessoas morreram e mais de 60 ficaram feridas em uma explosão durante uma reunião em que um líder religioso iria discursar em Mingora, a maior cidade da província de Swat, no noroeste, disseram a polícia e funcionários do hospital Saidu Sharif.

"O número de mortos pode subir, já que alguns feridos estão em condições críticas e estamos recebendo cada vez mais gente ferida", disse o Dr. Niaz Mohammad.

A polícia disse inicialmente que a explosão em Swat tinha sido causada pela explosão de um cilindro de gás, mas depois o chefe de polícia Akhtar Hayat disse se tratar de uma bomba.

O último ataque militante a provocar tantas mortes aconteceu há mais de dois anos em Swat.

A região montanhosa, anteriormente um destino turístico, vem sendo administrada pelo Exército paquistanês desde a ofensiva de 2009, que expulsou militantes do Taliban que tinham assumido o controle local.

Mas o Taliban manteve a capacidade de lançar ataques em Swat e atirou na estudante ativista Malala Yousufzai em Mingora em outubro passado.

A bomba em um mercado de Quetta tinha por alvo uma viatura da polícia, e matou principalmente feirantes e vendedores de roupas usadas, disse o oficial Mehmood.

Três policiais nas redondezas ficaram feridos e uma criança estava entre os mortos, ele disse.

O Exército Unido Baloque assumiu a autoria do atentado.

O grupo é um dos vários que lutam pela independência do Baloquistão, uma região empobrecida e árida com reservas importantes de gás, cobre e ouro.

A área responde por pouco menos de metade do território paquistanês e abriga cerca de 8 milhões dos 180 milhões de habitantes do país.

Tudo o que sabemos sobre:
PAQUISTAOEXPLOSOES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.