Duas pessoas morrem de dengue em Cuba

O presidente cubano, Fidel Castro afirmou em um discurso nesta sexta-feira que dois adultos morreram em decorrência da dengue, doença transmitida pelo mosquito ?Aaedes aegypti?. O líder cubano lembrou que em 3 de dezembro passado se referiu publicamente pela primeira vez sobre a existência de vários focos da doença na capital cubana.As autoridades de saúde de Cuba estão desenvolvendo uma intensa campanha de saúde com o propósito de erradicar os focos de proliferação do mosquito transmissor, desde o começo deste ano de 2002. O plano inclui pulverização de inseticida, recolhimento de lixo e entulho, além do conserto de saídas de água e controles sanitários, e dele participam um "destacamento especial" integrado por estudantes, líderes de organizações juvenis, membros do exército Juvenil do Trabalho e das brigadas que habitualmente se dedicam a campanhas de saúde. A campanha está dando ênfase especial a quatro municípios da região de Havana, onde são pulverizadas uma média de cem casas por dia, ciclo que deve repetir-se uma vez por semana. Fidel Castro lembrou em seu discurso que no ano de 1981 aconteceu uma epidemia de dengue hemorrágica na ilha e que em apenas um dia aconteceram 11.400 casos. No total foram 350 mil casos, e 158 pessoas morreram, delas 101 crianças.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.