Marvin Gaul / Reuters
Marvin Gaul / Reuters

Polícia prende suspeito de matar dois em ataque a sinagoga na Alemanha

Segundo o tabloide alemão 'Bild', uma granada de mão foi lançada em um cemitério judaico ao lado do templo

Redação, O Estado de S.Paulo

09 de outubro de 2019 | 08h22
Atualizado 09 de outubro de 2019 | 11h36

BERLIM - Duas pessoas foram mortas em um ataque a tiros nesta quarta-feira, 9, na cidade de Halle, leste da Alemanha. A polícia está em busca dos suspeitos.Uma pessoa já foi presa, mas as autoridades não deram mais informações a respeito. Segundo o jornal Bild, a ação aconteceu em frente a uma sinagoga.

A publicação também informou que uma granada de mão foi lançada em um cemitério judaico. Além disso, foram registrados disparos em Landsberg, a cerca de 15 km de Halle, mas ainda não se sabe os casos têm ligação.

"De acordo com as primeira informações, duas pessoas foram mortas em Halle", disse a polícia local em sua conta no Twitter. "Houve vários disparos. Os supostos responsáveis fugiram em um veículo. Estamos trabalhando nas buscas e pedimos aos cidadãos que fiquem em suas casas." 

Segundo a revista Der Spiegel, promotores federais estão conduzindo uma investigação sobre o caso, o que pode indicar que há ligação com terrorismo.

Alvo

A comunidade judaica local alegou que a sinagoga foi alvo do ataque e que os agressores tentaram entrar no local, mas foram impedidos em razão das medidas de segurança.

Max Privorotzki, representante da comunidade judaica em Halle, disse que no momento da ação havia entre 70 e 80 pessoas na sinagoga.

Ataque no dia de Yom Kippur

O ataque aconteceu no dia do Yom Kippur (Dia do Perdão), o feriado mais sagrado do calendário judaico.

"Um dos agressores usava um casaco e trajes militares", afirmou uma das testemunhas. "Ele lançou uma granada que explodiu na porta de um restaurante", acrescentou. 

A Deutsche Bahn, que opera os trens do país, disse que a principal estação da cidade está fechada no momento.

Um vídeo divulgado pela emissora alemã MDR mostra o que parece ser um homem com capacete disparando quatro vezes de trás de um carro em Halle. Não é possível identificar em que ele atirava.

Em 2018, também no mês de outubro, um homem abriu fogo em uma sinagoga nos EUA. Relembre o caso no vídeo abaixo.

Crimes de ódio na Alemanha

Crimes de ódio e antissemitas com alvo em estrangeiros cresceram quase 20% na Alemanha no último ano, de acordo com dados oficiais divulgados em maio. Eles incluem uma série de ofensas, incluindo ataques, insultos, pichações, publicações na internet e uso de símbolos nazistas.

Neste ano, um alto funcionário do governo alemão conhecido por seus esforços contra ações antissemitas alertou os judeus a não usarem seus quipás (peça do vestuário judeu) em público. / REUTERS, AP, AFP e NYT

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.