Duhalde culpa o FMI por explosão social na Bolívia

O presidente da Argentina, Eduardo Duhalde, responsabilizou o Fundo Monetário Internacional (FMI) pela explosão social na Bolívia e afirmou que o governo de Gonzalo Sánchez de Lozada está "cambaleante". Durante um ato em um hospital no subúrbio de Buenos Aires, Duhalde considerou parecida a situação do país vizinho com a registrada na Argentina, durante o governo de Fernando de la Rúa, em dezembro de 2001."Nossa querida irmã, a República da Bolívia, já tem mais de 20 mortos. O que aconteceu na Bolívia? O FMI fez o mesmo que na Argentina com o governo da Aliança (De la Rúa), exigindo uma redução de salários em 12%. E qual foi o resultado? O povo nas ruas", afirmou Duhalde."Na Bolívia, irmãos se enfrentam, há mortos, um governo de quatro meses cambaleia, exatamente o mesmo que ocorreu na Argentina", continuou Duhalde, um senador peronista que foi nomeado presidente pelo Congresso em 1º de janeiro de 2002, depois da queda de De la Rúa e outros três chefes de Estado, todos designados e derrubados num intervalo de poucos dias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.