Duhalde diz que comunidade produtiva deve governar o país

O presidente da Argentina, Eduardo Duhalde, decretou no discurso desta sexta-feira o fim da aliança do governo argentino com "o poder financeiro". Essa aliança, garantiu em discurso a representantes empresariais, será subsitituída pela aliança entre governo e o setor produtivo. "É a comunidade produtiva que deve governar o país", afirmou. Duhalde, que realizou sua primeira reunião pública com representantes do setor produtivo justamente para conseguir apoio para essa nova aliança que está propondo, afirmou que as finanças são imprescindíveis para o país, mas devem ficar no lugar às quais correspondem e ajudar o setor produtivo. Ele foi muito aplaudido, quando afirmou que a aliança da Argentina com o poder financeiro prejudicou o país. Também admitiu que foram os próprios argentinos e a classe política que levaram a Argentina a essa "situação de vergonha". "Há quarenta anos a política e a produção na Argentina estiveram desvinculados, mas nas grandes economias, o elemento fundamental de desenvolvimento foi trabalho", afirmou. Em seu discurso para empresários, o presidente disse que, na Argentina, por muito tempo acreditou-se em um único modelo, o vigente até então, mas isso é uma falácia porque no mundo globalizado há varios modelos que dão certo. Ele destacou o modelo chileno, como exemplo. E disse que em todos os regimes que deram certo, há comunhão entre o setor público e o setor privado. "A Argentina se decidiu agora por uma nova aliança, a produtiva", reiterou.

Agencia Estado,

04 Janeiro 2002 | 15h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.