Duhalde vai à Justiça para manter calendário eleitoral

O presidente da Argentina, Eduardo Duhalde, vai recorrer da decisão de um juiz da província de Salta que suspendeu o cronograma eleitoral das eleições internas e simultâneas, marcadas para o 24 de novembro, e ratifica o cronograma das eleições para 30 de março e 27 de abril para segundo turno. O ministro do Interior, Jorge Matzkin, informou que o presidente assinará um novo decreto na segunda-feira reiterando, apesar da decisão da Justiça, a realização de convenções simultâneas - provavelmente no mesmo dia 24 de novembro - e confirmando a data da eleição presidencial. Esta é uma disputa que começou dentro do Partido Justicialista (PJ, peronista) entre a ala ligada ao ex-presidente e agora candidato Carlos Menem e o chamado duhaldismo e que acabou na Justiça graças a um recurso apresentado pela UCR (União Cívica Radical) do ex-presidente Raul Alfonsín. Ao saber da decisão da justiça de Salta, Duhalde convocou os ministros para uma reunião na residência presidencial de Olivos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.