Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

DUP pode compartilhar governo da Irlanda do Norte com IRA

O Partido Democrático Unionista (DUP), do reverendo Ian Paisley, pode formar, em maio, um Executivo autônomo com o Sinn Féin, braço político do IRA, caso o governo do Reino Unido adie em seis semanas a data limite para que as duasforças cheguem a um acordo.A oferta está incluída em uma resolução aprovada pela maioria dos 120 membros que compõe a executiva do DUP, que se reuniu na capital da Irlanda do Norte (Ulster), Belfast, para abordar o assunto, segundo indicaram fontes ligadas às negociações.O DUP deveria comunicar neste sábado, 24, ao governo do Reino Unido sua decisão para que o secretário do Estado britânico para a Irlanda do Norte, Peter Hain, pudesse ordenar a restauração da autonomia da província, que permanece suspensa desde outubro de 2002, na próxima segunda-feira, a data limite imposta por Londres e Dublin no acordo de Saint Andrews, de novembro de 2006.Caso o comunicado seja encaminhado a Hain, o primeiro-ministro do Reino Unido, Tony Blair, se veria obrigado a introduzir uma legislação de emergência na Câmara dos Comuns que anule as leis que dão amparo legal ao acordo de Saint Andrews.Os artigos estabeleciam que, se até o dia 26 de março não houvesse uma decisão conjunta dos dois partidos, Londres suspenderia indefinidamente a Assembléia autônoma norte-irlandesa e os salários de seus membros, ao tempo em que passaria a administrar a região em estreita cooperação com Dublin, uma opção temida pelos unionistas.Ao término da reunião da executiva do DUP, Paisley afirmou que seus membros apoiaram "contrariamente" a moção sobre o assunto, mas recusou a dar mais detalhes, até que as negociações sejam concluídas."O Ulster chegou a uma situação séria, pois o governo (britânico) quer nos ditar coisas que o povo não aceita. Nós não podemos ser subjugados", disse o reverendo a jornalistas em Belfast, sem dar mais explicações."Informaremos sobre o conteúdo completo da resolução mais adiante. Acho que, com o passar das horas, vocês (jornalistas) terão uma melhor concepção e percepção do que queremos conseguir", concluiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.