Duplo atentado suicida deixa 23 mortos no Afeganistão

Um duplo atentado suicida matou 23 pessoas nesta quarta-feira num estacionamento de veículos que entregam suprimentos para uma importante base da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) na província de Kandahar, sul do Afeganistão.

AE, Agência Estado

06 de junho de 2012 | 09h25

Um suicida numa motocicleta detonou os primeiros explosivos e uma multidão se reuniu para ajudar as vítimas. Então, um segundo homem

caminhou para o meio das pessoas e detonou mais explosivos, informou o chefe de polícia local, general Abdul Raziq.

Vinte e três pessoas - todas civis - foram mortas e 50 ficaram feridas, afirmou Raziq, dizendo que a maioria das vítimas era composta por motoristas, seus assistentes e trabalhadores locais. "Todos os atingidos são civis. Não há um único militar", disse ele

Ahmad Jawed Faisal, porta-voz da administração provincial, descreveu o ataque com detalhes semelhantes, mas disse 22 pessoas morreram.

O ataque aconteceu num estacionamento onde estavam dezenas de caminhões que entregam suprimentos para a base da Otan em Kandahar, a maior da aliança militar no sul do Afeganistão.

Nenhum grupo assumiu a responsabilidade pelos ataques, mas ações semelhantes têm sido creditadas a islamitas radicais que querem derrubar o presidente Hamid Karzai. No passado, o Taleban ameaçou matar caminhoneiros que trabalhassem para a missão da Otan, que precisa de veículos de civis para distribuir suprimentos em bases pelo Afeganistão.

Os caminhões passam por complexas verificações de segurança, que podem durar dias, razão pela qual geralmente há uma aglomeração de veículos do lado de fora das bases.

Um total de 579 civis morreram e 1.219 ficaram feridos entre janeiro e abril de 2012 no Afeganistão. Ataques de insurgentes ligados ao Taleban foram responsáveis pela maior parte das mortes, segundo a Organização das Nações Unidas.

Kandahar é o local de nascimento do Taleban, grupo que tomou o controle do país em 1996 e governou por cinco anos, até ser derrubado pela invasão liderada pelos Estados Unidos, iniciada pela recusa do grupo em entregar o líder da Al-Qaeda, Osama bin Laden, após os ataques de 11 de Setembro. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoKandaharataque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.